Carregando...

AMBBotão Menu

“Vamos dar exemplo para o mundo inteiro de uma grande articulação para o combate à violência contra a mulher”, diz Renata Gil em live

Em live com a subsecretária estadual de Políticas para Mulheres do Rio de Janeiro, Camila Andef, realizada nesta sexta-feira (26), a presidente da AMB, Renata Gil, falou da campanha Sinal Vermelho contra violência doméstica, recém-lançada pela entidade em parceira com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). “É uma responsabilidade de todos nós. Os números são alarmantes e estamos vivendo uma grande crise de violência contra a mulher, um fator mundial e não apenas brasileiro, com aumento de aproximadamente 50% dos casos. Precisamos enfrentar esses dados e modificar”, disse a magistrada.

Renata Gil acredita que com essa campanha será possível mostrar que há engajamento e política pública. “Vamos dar exemplo para o mundo inteiro de uma grande articulação para o combate à violência contra a mulher. Estamos buscando alteridade pura, real e de ação, pois esse problema é coletivo”, frisou.

Na conversa, Camila Andef destacou o alcance da iniciativa. “Toda forma que existir para a gente minimizar o sofrimento das mulheres e não permitir que chegue ao feminicídio será muito válido. Estamos vendo muitos homens fazendo o sinal vermelho, tirando foto e mostrando essa inclusão. A gente quer uma sociedade justa e igualitária com direitos e deveres para todos”, elogiou ao afirmar que é apoiadora da causa.

Na ocasião, a presidente da AMB contou que a Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (Amaerj) foi a primeira entidade a usar o seu grupo de diretores masculino para a campanha. “O engajamento masculino é sensacional, inclusive com a participação dos presidentes de tribunais de Justiça de São Paulo, Maranhão e do Piauí”.

Por fim, Renata Gil afirmou que os mecanismos de proteção à mulher ainda são incipientes. Citou que no estado do Rio de Janeiro vigora uma resolução da Polícia Militar em que o atendimento para a violência doméstica não é prioritário. “O secretário de Segurança já foi acionado e disse que está na fase de revisão, mas isso é assustador. No Distrito Federal, por exemplo, a segunda causa de acionamento da PM pelo 190 é a violência contra a mulher”, contou.

Clique aqui e saiba mais sobre a campanha Sinal Vermelho contra violência doméstica

Campanhas e Eventos