Nos últimos meses, a entidade tem atraído Magistrados de todos os graus de jurisdição e ramos do Judiciário brasileiro

A união de Juízes pelo associativismo tem sido a tônica de trabalho da Diretoria da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) com o propósito de proteger os direitos e promover conquistas para quem tem a missão de julgar. A partir desta estratégia, a AMB recebeu cerca de 700 novos filiados no último ano, que se somaram aos esforços da entidade para a valorização da Magistratura brasileira. A AMB, em 2023, entregou importantes vitórias da luta associativa à Magistratura. Em face deste cenário, mais personalidades do Judiciário entram para a jornada associativa: a Secretária-Geral do CNJ, Juíza Adriana Cruz, tornou-se associada à AMB nesta semana.

“O número de filiados tem aumentado exponencialmente ao longo dos meses: são Juízes de todas as instâncias e ramos do Judiciário que aderem a um projeto plural, ainda em construção, baseado em idéias e que tem a magistratura como ponto de partida e chegada. A nossa atuação tem sido levar as demandas de Magistrados, tanto os de comarcas do interior do Brasil quanto os que prestam a jurisdição nas capitais, a pessoas e instituições com capacidade de promover as necessárias mudanças em favor da magistratura e da sociedade”, disse o Presidente da AMB que acrescentou ainda: “A filiação da Adriana contribui sobremaneira para a AMB e fortalece ainda mais a magistratura brasileira. Trata-se de juíza que ocupa um dos cargos mais importantes no sistema de Justiça e tem uma história de vida (e profissional) que orgulha a todos nós magistrados brasileiros. É um exemplo e inspiração, trabalhando sempre com sensibilidade e humildade. Precisamos somar forças em defesa das prerrogativas em uma realidade cada vez mais desafiadora para a Magistratura”.

Adriana Cruz é Juíza há 24 anos. Atualmente é titular da 5ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Formou-se em Direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Doutora em Direito Penal pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Professora de Direito Penal na PUC-Rio. Com a nomeação à Secretaria do CNJ, tornou-se a primeira mulher negra a exercer o cargo.

A Juíza Karen Louise (TJ-RS) acompanhou a filiação da Magistrada à AMB.

Mais associados

A política institucional da Diretoria da Associação busca fortalecer a base da entidade, que já tem mais de 14 mil associados – entre Juízes, Desembargadores e Ministros. A AMB é a maior entidade representativa da Magistratura nacional, nas esferas estadual, trabalhista, federal e militar. Em dezembro do ano passado, a Ministra Daniela Teixeira (STJ) filiou-se à entidade unindo-se aos demais Ministros do Superior Tribunal de Justiça nomeados na mesma oportunidade, e que já eram associados à AMB: Afrânio Vilela e Teodoro Silva.

Gostou? Então compartilhe!