Carregando...

AMBBotão Menu

“Se uma vida for salva, já valeu a pena o nosso trabalho”, destaca Renata Gil em live do Sou BHTalk

A presidente da AMB, Renata Gil, participou, nesta terça-feira (30), da edição “Rede de apoio feminino – cuidado e proteção à mulher, promovida pelo Sou BHTalk. Em pauta, o cenário social em que diversas mulheres são vítimas, anualmente, de maus-tratos.

Em sua fala, a magistrada falou da campanha Sinal Vermelho contra violência doméstica, recém-lançada pela entidade em parceira com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). “Neste período de pandemia, muitas mulheres estão encarceradas com os seus agressores. Elas já tinham problemas antes e com o isolamento social a situação piorou. A violência é uma chaga da humanidade”, disse Renata Gil.

Na ocasião, a presidente da AMB contou que durante um mês e meio de estudo sobre a campanha descobriu que, no Distrito Federal, a segunda causa de acionamento da Polícia Militar pelo 190 está relacionada à violência contra a mulher. A primeira é perturbação da ordem. “A sociedade precisa saber que é o momento de nos unirmos contra esse mal. Queremos o fortalecimento da rede e se uma vida for salva, já valeu a pena o nosso trabalho”.

Maria Aparecida Consentino, juíza de violência doméstica e familiar da Comarca de Belo Horizonte, parabenizou a AMB pela iniciativa. “É uma campanha silenciosa, incrível e ter essa ação é um presente. Realmente precisamos divulgar”, disse, ao complementar, que na questão do feminicídio apenas 5% das mulheres possuem medidas protetivas. “Significa que em 95% dos feminicídios as mulheres não buscaram ajuda. Isso é muito sério e as pessoas têm que desmistificar a questão da Lei Maria da Penha porque muda a vida das mulheres”, concluiu.

O debate foi mediado pela apresentadora Patrícia Lisboa e contou também com a participação da advogada criminalista Denise Maldonado e do professor de Direito da Pontifícia Universidade Católica (PUC-MG) e promotor de Justiça Marcelo Cunha.

Confira aqui a live

Campanhas e Eventos