Obra traz o feito inédito por ter sido escrita por todos os onze ministros do STF

Os onze ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) lançaram nesta quarta-feira (3) o livro “Liberdades”, em comemoração à passagem do Bicentenário da Independência e dos 130 anos do Supremo. Cada magistrado escreveu sobre um aspecto da liberdade, sob a ótica da Constituição de 1988. “O livro resgata a história do STF, a história da democracia brasileira, e em um momento importantíssimo de comemoração do bicentenário, e no qual as instituições brasileiras e as garantias e liberdades estão sendo discutidas na maior Corte de Justiça do País, que é o STF. Acho que esse livro, além de consagrar liberdades, também é uma reafirmação da democracia brasileira, que é o pilar do estado democrático de direito”, enfatizou a presidente da AMB, Renata Gil, durante o evento.

Na obra o presidente Luiz Fux tratou da liberdade econômica; a vice-presidente do STF, Rosa Weber, da liberdade sindical; a ministra Cármen Lúcia, da liberdade de imprensa; os ministros Gilmar Mendes, da liberdade de ir e vir; Ricardo Lewandowski, da liberdade de reunião; Dias Toffoli, da liberdade de expressão; Luís Roberto Barroso, da liberdade sexual; Edson Fachin, também presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), da liberdade do eleitor; Alexandre de Moraes, também vice-presidente do TSE, da liberdade do candidato; Nunes Marques, da liberdade empresarial; e André Mendonça, da liberdade religiosa.

“Eu espero que estejamos contribuindo para despertar em todos a sensação de pertencimento de uma nação que defende a democracia. Esta corte está alerta para evitar qualquer tipo de retrocesso nas liberdades duramente conquistadas”, enfatizou o presidente do STF, ministro Luiz Fux.

Paula Andrade (Ascom AMB)

 

Gostou? Então compartilhe!