Em cerimônia realizada nesta quarta-feira (1º), o desembargador Gilson Soares Lemes assumiu a presidência do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG). A nova mesa diretora da corte para o biênio 2020-2022 é composta pelos desembargadores José Flávio de Almeida, Tiago Pinto, Newton Teixeira Carvalho (vice-presidentes), Agostinho Gomes de Azevedo e Edison Feital Leite (corregedor-geral de Justiça e vice, respectivamente). A presidente da AMB, Renata Gil, fez parte da mesa de honra da solenidade.

Em discurso, Lemes assegurou que buscará melhores condições de trabalho e de segurança para os magistrados. “Trabalharei de forma incessante na defesa inabalável do Poder Judiciário e das prerrogativas da magistratura mineira, enaltecendo o papel da instituição na defesa da democracia e dos direitos individuais”, afirmou.

Ele adiantou que vai investir na área de tecnologia do tribunal, dar mais qualidade ao serviço prestado aos jurisdicionados e implementar novos programas de atendimento social. “Teremos uma gestão coesa, com muito trabalho, harmonia e dedicação”.

Relação institucional
O desembargador Nelson Missias de Morais, que esteve à frente do TJMG no biênio 2018-2020, disse que a corte se relacionou “de forma altiva” com os demais Poderes, mas “sempre tendo em mente que autonomia e independência são preceitos constitucionais dos quais não se pode abrir mão em qualquer hipótese”.

Na opinião do ex-presidente do TJMG, a sua proposta de gestão, compartilhada e participativa, foi acolhida e assimilada pelos magistrados do estado, especialmente por ter tido como foco a valorização da primeira instância. Falou que os magistrados são os “músculos” do Poder Judiciário e que os servidores são os ossos que dão sustentação à musculatura. “Sem eles, o corpo não para em pé”.

Nelson Missias elogiou também o trabalho realizado pela presidente da AMB, Renata Gil.  “Grande líder, que não se descuida da magistratura brasileira”.

Gostou? Então compartilhe!