Associação dos Magistrados Brasileiros
AMBBotão Menu

Bem-estar do magistrado é pauta de Congresso em Sergipe

O presidente da AMB, Jayme de Oliveira, participou nesta sexta-feira (09), em Aracaju (SE), da abertura do II Congresso sobre Saúde e Bem-estar do Magistrado. O evento, realizado pela Associação dos Magistrados de Sergipe (Amase), busca discutir o adoecimento e a qualidade de vida dos que compõem o Poder Judiciário. Também estiveram presentes a vice-presidente Institucional da AMB, Renata Gil e o presidente da Associação Alagoana de Magistrados (Almagis), Ney Alcântara.

Durante a abertura do evento, o presidente da Amase, Gustavo Plench, ressaltou a necessidade de se ter um olhar mais voltado à saúde do magistrado. “Há muitas ocorrências de colegas enfrentando problemas em decorrência das dificuldades da atividade.” Para ele, o objetivo do evento é trazer um ambiente mais calmo para discutir e debater o assunto de forma ampla e aprofundada.

O presidente da AMB foi o primeiro a falar sobre o tema. Ele apresentou os principais dados da pesquisa da AMB “Quem Somos. A magistratura que queremos” em relação à saúde dos magistrados. De acordo com a pesquisa, entre os juízes de 1º grau em atividade, 63,3% praticam atividades físicas frequentemente. Entretanto, Jayme de Oliveira revelou que a maioria (mais de 90%) dos juízes, desembargadores e ministros acredita que estão mais estressados do que os magistrados no passado.

O dirigente chamou a atenção também para o fato de que a maioria acredita que os índices de depressão, síndrome do pânico e crises de ansiedade estão maiores entre os magistrados hoje do que há dez anos. “Entre os juízes ativos de 1º grau, 94,9% concordam que houve esse aumento. No 2º grau, 88,4% também concordam”, citou.

Por último, ele falou sobre a indagação na pesquisa se o aumento da litigiosidade e consequente ampliação da atividade dos magistrados exige uma política voltada para saúde. A concordância dos magistrados, de acordo com a pesquisa, foi de quase 100%. “O resultado foi importante para mostrar ao CNJ o sentimento dos magistrados, o desejo de uma política nacional voltada para a Magistratura”, ressaltou.

O presidente da AMB acrescentou que o levantamento foi enviado ao CNJ a fim de contribuir com diretrizes e estratégias voltados à promoção e à preservação da saúde física e mental dos servidores e magistrados. Ele lembrou, ainda, que paralelamente foi criada na AMB a secretaria voltada às questões dos magistrados com filhos com necessidades especiais. “Tivemos grandes avanços”, disse. Ele discorreu, também, sobre as ações da AMB em parceria com o Instituto Augusto Cury para realização de palestras e cursos sobre o tema da saúde.

Jayme de Oliveira aproveitou a ocasião para informar a intenção de criar um núcleo de pesquisa jurídica na AMB. “A ideia é que a AMB tenha uma prática de pesquisa”. A pesquisa completa “Quem Somos. A magistratura que queremos” está disponível no site da AMB.

Na sequência, o público assistiu à palestra do psicólogo André Barreto Prudente sobre o propósito e o sentido do trabalho. O evento segue com painéis e palestras até o sábado (09).

Taluama Cabral

Campanhas e Eventos