Carregando...

AMBBotão Menu

AMB realiza série de reuniões com parlamentares para barrar iniciativas que preveem desvalorização da carreira

 Reforma Administrativa e PL do Extrateto estiveram no centro da pauta

Nesta quarta-feira (07), representantes da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) voltaram à Câmara dos Deputados para sensibilizar os parlamentares quanto às questões da Reforma Administrativa e do PL do Extrateto. “A mobilização da AMB segue mais forte do que nunca. Organizamos uma verdadeira força-tarefa para tratar dos dois temas”, disse a presidente da AMB, Renata Gil.

Enquanto os magistrados visitavam os gabinetes de deputados, no plenário, os congressistas aprovaram o requerimento de urgência do Projeto de Lei 6726/2016, de autoria de Rubens Bueno (PPS/PR), que visa limitar o pagamento de verbas indenizatórias que excedam o teto fiscal.

“O texto depositado para o extrateto ainda não é definitivo, nós temos pedido que os percentuais sejam aumentados, está tudo sendo avaliado pelo relator”, explicou Renata Gil, que garantiu ainda que os membros da AMB “seguem na luta e confiantes de que as proposições serão adequadas às normas do Conselho Nacional de Justiça, às decisões judiciais do Supremo Tribunal Federal e aos limites já impostos pela Lei”.

O presidente da Associação dos Magistrados do Rio de Janeiro (Amaerj), Felipe Gonçalves, também participou das tratativas. “A gente não pode deixar haver uma perda remuneratória, estamos trabalhando para que os vencimentos dos magistrados sejam preservados. Os deputados nos receberam muito bem, nos ouviram atentamente e se sensibilizaram com nossos pleitos”, ponderou.

Reforma Administrativa

Após um dia intenso com a participação em audiência pública na Câmara, a presidente Renata Gil seguiu com o trabalho intenso no legislativo para falar das inconstitucionalidades presentes no texto da PEC 32/2020, que contempla a Reforma Administrativa.

Ao lado de membros do Ministério Público, a presidente da AMB realizou importante reunião com o deputado Luisinho (PPB/RJ), que se manifestou favorável ao posicionamento da magistratura e do MP. “Em um país como o nosso, que precisa ter carreiras de Estado fortalecidas, não podemos permitir retrocessos. Assim como defendo a valorização da carreira médica, acredito que valorizar os profissionais do judiciário é garantir melhores serviços à população”, pontuou. O parlamentar encerrou seu pronunciamento firmando um compromisso “em trabalhar, no que for possível, para aprimorar a legislação e garantir o fortalecimento da justiça no Brasil”.

Confira, no vídeo abaixo, o que disse a presidente Renata Gil a respeito das articulações na Câmara


Daiane Garcez e Júlia Rodrigues (ASCOM)

AÇÕES PARA O ASSOCIADO