Carregando...

AMBBotão Menu

Live com Maria Tereza Uille trata da integração do Judiciário à Agenda 2030 da ONU

Agenda 2030

A criação de novas soluções para a melhoria do serviço prestado pelos órgãos de Justiça e as formas de integração da Agenda 2030, da. Organização das Nações Unidas (ONU), na pauta do. Poder Judiciário foram o foco da live promovida nesta quinta-feira (28) pela AMB. A conversa entre o diretor do Laboratório de Inovação e Inteligência (AMB LAB),. Ângelo Vettorazzi, e a conselheira do. Conselho Nacional de Justiça (CNJ) Maria Tereza Uille foi transmitida ao vivo pelo Youtube.

Ao iniciar o debate, Ângelo Vettorazzi destacou a relevância da política nacional de inovação e inteligência do Poder Judiciário e o trabalho do. Laboratório nesse contexto. “O objetivo do AMB LAB é reunir e publicizar as ações dos magistrados em favor da sociedade, propor elaborações conjuntas que visem à melhoria da gestão pública e à prevenção da judicialização excessiva”. De acordo com ele, é necessário que a magistratura sempre discuta formas de fixação das bases da inovação e os instrumentos possíveis para alcançar esses objetivos.

A conselheira, que coordena o. Comitê Interinstitucional do. CNJ, informou que após o levantamento do número de processos no país (78 milhões) foram estabelecidos indicadores que possam contribuir na investigação de possíveis saídas para se evitar o congestionamento dos processos na. Justiça. Segundo ela, o trabalho do grupo é no sentido de aproximar as metas e dados do. Poder Judiciário aos indicadores da. Agenda, fortalecendo a política judiciária de direitos humanos.

“Ouvimos os tribunais de todo o Brasil e recebemos 500 práticas de tribunais relacionadas à Agenda e passamos a cruzar as informações”, contou. “Precisamos, com um olhar humano, construir soluções inovadoras para buscar novos produtos, serviços ou processos.”

A Justiça não para

Durante a reunião, o diretor do. AMB LAB enfatizou a alta produtividades dos tribunais e órgãos de Justiça durante a pandemia da. Covid-19, a partir de novas práticas de trabalho remoto. “O Poder Judiciário publicou, neste período, quase cinco milhões de sentenças e acórdãos, mais de sete milhões de decisões e proferiu mais de 12 milhões de despachos, além de ter contribuído com mais de R$ 340 milhões para o combate ao Coronavírus”, disse.

A atenção da. Associação para o enfrentamento de problemas já existentes da sociedade, que ganharam força durante a quarentena, como a campanha contra a violência doméstica, também foi mencionada. “Essa transformação digital precisa ganhar força e, a meu ver, o fato de podermos auxiliar as vítimas já representa o melhor custo-benefício disso. Sempre nos preocupando com as pessoas que não tem acesso à tecnologia”, complementa.

Clique aqui e assista a live

Acesse a Agenda 2030 da ONU

Campanhas e Eventos