Associação dos Magistrados Brasileiros
AMBBotão Menu

Em São Paulo, AMB e UIJLP fazem homenagem póstuma ao desembargador Antônio Rulli

A AMB e a União Internacional de Juízes de Língua Portuguesa (UIJLP) prestaram uma homenagem póstuma ao desembargador Antônio Rulli Junior, na tarde desta segunda-feira (26). A cerimônia ocorreu na sede da Associação Paulista dos Magistrados (Apamagis), durante o Seminário “Combate à Corrupção aos Países de Língua Portuguesa”.

“Qualquer homenagem que se faça será sempre pequena para o que ele representa. O Rulli deixou marca, não apenas na Magistratura, mas também pessoalmente, na minha vida”, disse o presidente da AMB, Jayme de Oliveira, ao abrir a solenidade.

A família do magistrado recebeu uma placa em reconhecimento pela contribuição do desembargador pelo fortalecimento das Escolas Judiciais do país e da Magistratura brasileira. “Para ele, seria uma realização de tudo aquilo pelo que ele lutou. É emocionante para nós”, disse, Suelly Reis Rulli, esposa do homenageado.

O desembargador Antônio Rulli Junior atuava como membro da Secretaria de Assuntos Internacionais da AMB e foi também presidente honorário da UIJLP, motivo pelo qual foi lembrado com bastante emoção pelos magistrados presentes. “A palavra saudade é a mesma em todas as latitudes. É sempre inverno quando nos falta um amigo. Não conheço, dentro do universo de juízes de língua portuguesa, alguém que mereça tanto o memorial como o desembargador Antônio Rulli Junior. Para mim, trata-se também da memória de um querido amigo, que a cerca de uma década tinha passado a compartilhar conosco momentos raros de alegria, companheirismo e muitos projetos para esse universo judiciário”, disse Nuno Coelho, presidente honorário da UIJLP.

Participaram da homenagem os magistrados integrantes da UIJLP, membros da diretoria da AMB e da Apamagis, e também o ex-presidente da AMB Nelson Calandra, amigo do homenageado.

Sobre o homenageado
Nascido em Campo Grande (MS), Antônio Rulli Junior se formou na Universidade de São Paulo. Seguiu carreira na Magistratura, tornando-se desembargador do TJSP. Membro do Conselho Superior da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam), foi presidente honorário da União Internacional de Juízes de Língua Portuguesa (UIJLP) e integrante da Secretaria de Assuntos Internacionais da AMB. Foi eleito presidente, por unanimidade, do Copedem para os biênios 2011/2013, 2013/2015, 2015/2017 e 2017/2019.

Durante o biênio 2006/2007, foi vice-diretor da Escola Paulista da Magistratura (EPM) e diretor no biênio 2008/2009. Durante sua gestão na Escola da Magistratura, implantou o sistema de videoconferência, o que possibilitou a transmissão de cursos para todo o estado de São Paulo e para escolas de outros estados. Em 2012, foi aposentado quando completou 70 anos. Faleceu em janeiro de 2018.

Campanhas e Eventos